Publicidade

Publicidade

Arquivo de abril, 2007

24/04/2007 - 22:40

Desabafo

Compartilhe: Twitter

Depois de uma longa hibernação (se é que posso chamar a correria em que estou agora de hibernação) eis-me aqui de volta.

Antes de tudo, gostaria de avisar a todos sobre o show Era Iluminada:Jovem Guarda que acontecerá neste fim de semana (sexta, sábado e domingo -27, 28 e 29 de abril) no teatro do SESC Pompéia. Eu vou dirigir o espetáculo que conta com as participações de A3, Nasi, Luciana Mello, Wanderléa e Erasmo Carlos. Será certamente muito divertido. Quem estiver em Sampa, compareça.

Bom, gostaria hoje de escrever algumas coisas sobre as quais venho pensando muito ultimamente. É um texto grande, mas acho que vale a pena compartilhar com vocês. São coisas sobre o meu lar… O nosso lar.

Tenho tido cada vez mais frustrações e questionamentos com as notícias que leio nos jornais todas as manhãs. Penso que já há algum tempo que estamos simplesmente “abrindo mão” de nossa situação e de nosso querido país. Parece que anda correndo uma anestesia forte em nossas veias que nos impede de reagir a todos os assuntos que nos envergonham como sociedade.
Recentemente vi uma reportagem que tratava do salário indecente dos policiais militares do Rio de Janeiro; algo em torno de 800 e poucos reais por mês para alguns dos oficiais da lei. O segundo pior do Brasil, só atrás de Pernambuco se não estou enganado. Pois então, dias antes lia sobre o “auto” (e alto) aumento sugerido pelos parlamentares de São Paulo. Algo que, somados o salário e os benefícios, atigia quase 30 mil reais mensais. Como pode? O profissional que garante nossa segurança ganha essa “mixaria” e parlamentares que a gente mal sabe o que fazem (muito por culpa nossa, quando não acompanhamos mais de perto o que esses caras andam fazendo por nós) se permitem um aumento em um salário que já é mais do que suficiente relacionado à realidade brasileira! Pesquisas já mostram que a remuneração dos políticos nacionais estão entre as mais altas do mundo!!!! Baseada em que méritos? Capacitação profissional diferenciada? Horas de serviço prestadas? Com certeza não pode ser. Os caras tem auxílio de tudo (moradia, gasolina, viagem etc), não gastam com nada e estão sempre aumentando seus ganhos. E nem perguntam sobre isso ao patrão: o povo. Também, perguntar pra quê? O povo nunca diz nada. O povo somente paga calado.
Já parou pra pensar na quantidade de impostos que o brasileiro paga sem nem sequer questionar o retorno disso? Tem imposto pra tudo, mas o mesmo não acontece com os benefícios que deveriam voltar pra nós. Se a pessoa não tem condiçoes de pegar um plano de saúde privado… coitada. Se não tem recursos pra colocar o filho em escola particular… coitada! Se não consegue poupar em uma previdência privada.. coitada. Coitada nada! A responsabilidade é nossa!! O presidente nos representa, mas não manda no país mais do que nós. A gente é que deixa. Ao pagar aluguel e condomínio, quando você vê que as contas não batem, ou quando a grana não está sendo direcionada para as melhorias das áreas comuns, você certamente se sente lesionado e luta contra as irregularidades, não é? Então por que não transferimos isso para o plano social. Por que aceitamos tudo de cabeça baixa? Veja a quantidade de tributação que existe em todos os produtos e/ou serviços que compramos. Em vários casos os tributos ultrapassam os 50% do preço ao consumidor. Em certas situações chegam a mais de 100%!!!!! Isso tudo num país onde o salário mínimo não passa dos 380 reais. E a CPMF? Era pra ser um imposto de caráter provisório direcionado à saúde e hoje já não tem mais nada da função inicial e , por hora, virou permanente. Aí eu penso, o imposto de renda já morde uma fatia considerável do bolso do trabalhador e ainda por cima existe um outro tributo que incide quando ele decide movimentar o que restou da mordida do leão. E o IPVA então? O sujeito paga uma fortuna nos carros vendidos por aqui (pode entrar em qualquer site das grandes montadoras e você vai ver que o preço de carro popular no Brasil compra carrões lá fora), tem que assegurar por preços exorbitantes (senão o carro é roubado e adeus) e, aqui em Sampa, fica impedido (por conta de falhas no transporte público) de dirigir o bem adquirido por pelo menos um dia na semana. Por conta do rodízio, fica-se proibido de dirigir seu carro por cerca de 50 dias no ano; quase dois meses!! Isso não se vê abatido no IPVA do paulistano. Fora que a maioria das ruas e estradas brasileiras mais detonam o charango que qualquer outra coisa. Mais um exemplo de roubo camuflado.
Falando ainda em tributos, outra pesquisa recente mostrou que o Brasil é o segundo país do mundo em carga tributária. Perde somente para a Noruega que também é a nação com o maior IDH (índice de desenvolvimento humano) no planeta. Ou seja, a Noruega tem impostos altos, mas sua população tem todos os benefícios que merece e paga pra ter. Aqui a tributação muitas vezes é injusta e unilateral. Você paga e não recebe. Coisa muito parecida com a situação do assalto.
Até quando a gente vai ficar observando a queda de nossa casa? Por que as pessoas não se mobilizam com a mesma vontade contra as atrocidades de nossa administração pública como o fazem (com todo direito) contra o casal que tenta bloquear o You Tube? A democracia pode e deve nos servir, mas nós certamente ainda não percebemos como. Não tem mais cabimento culpar tudo no governo. Nós colocamos esses caras lá em cima para trabalharem da melhor maneira possível… POR NÓS! E também acho que não adianta dizer: “Eu não votei nele então não tenho essa responsabilidade”. O Brasil é responsabilidade de todos os brasileiros. Pelo menos é o que eu sinto.
Decidi escrever tudo isso (e ainda tenho muito mais a desabafar), pois acho que devemos discutir e agir mais sobre nosso futuro. Chega de ser gado. Com o tempo temos que nos tornar melhores cidadãos. O Brasil, infelizmente, também tem uma das populações mais acomadadas do mundo em relação aos seus problemas político-sociais. Só mais alguns números para provar esse fato. Organizações internacionais divulgaram, não faz muito tempo, dados sobre crianças morrendo em situações de guerra. O resultado é no mínimo assutador; no confronto entre Israelenses e Palestinos, em um período x morreram pouco mais de 700 crianças; no mesmo período no Brasil morreram mais de 1800 crianças vítimas da violência urbana! (por favor me corrijam se alguma informação estiver gritantemente equivocada). Algo definitivamente não está certo nisso. Com toda a grana que a gente paga, estamos comprando guerra civil!. O negócio aqui não pode ser só futebol e novela. Assim que acaba o jornal televisivo, anestesiamo-nos com os romances açucarados da tele-dramaturgia e nos esquecemos rapidamente das atrocidades noticiadas momentos antes. Não nos comovemos mais com as tragédias do dia-a-dia. Muito perigoso isso.
Bom, desabafei; mas não sosseguei.

Música na alma,

J.O.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
Voltar ao topo